segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

reTrospecto Futura.

Educados no mesmo castelo. Suas bochechas rosadas do sol, minha camiseta Suada do futebol. Você nascida para rainha, eu, plebeu.
...Descompassado batimento cardíaco; olhos, ouvidos, mãos suando frio, Na boca vários sabores.

Um garoto em um labirinto de sensações, captadas do mundo de ruídos, sons, imagens, pensamentos, e sem traduzir, surge a cartinha, desenhada com as primeiras letras de mão.

Contracenamos, dançamos juntos. Dancei contigo graças ao professor que acreditava nos sonhos do menino. Cada passo, cada gesto, mãos suadas, garganta apertada, e na barriga, borboletas coloridas.

Certo dia ou dia errado, abriram-se às portas daquele castelo, os ventos nos levaram com o tempo, mas o espaço tornou-se o mesmo.

Quantos outonos se passaram?
Quantas luas se deitaram?
Quantos “dia do índio” cantei palmas?

O amanhã busca no passado o futuro que talvez seja certo pelo destino, ou até descritos por nos mesmos...Mas não vou me espantar caso seja os dois.
Complexidade ter sentido saudades de algo que nunca houve. Na inocência se criou, cultivando uma erva-daninha chamada timidez, num lugar onde só me foi permitido olhar por um tempo, mas tê-la em pensamentos, sempre.
Os dias se passam, vários mundos conquistados, porém dos sonhos de menino nada se desbotou.

Espero que as pedras sejam suficientes, pois as jogarei em sua janela, na sorte de reencontrar o que nunca se perdeu com a distância, nem mesmo com os dias. Isso não terminará no fim, a felicidade será o começo, sempre.

...Com a navegação te encontrei, voltei às lembranças. Agora estarei esperando no cais os barcos de papel que fiz com as cartas que nunca tive a simples coragem de entregar.


ps: Um dia qualquer. Com ela no outro lado da linha.

2 comentários:

Ana Reczek disse...

Adorei te ler...
Tu escreve de uma maneira fluida, que envolve e não cansa nunca.
voltari sempre.
:)

Bayouth disse...

LIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIINDO DEMAIS!
Muito lindo,muito lindo mesmo,acho que já deu pra perceber que achei lindo,ne?!
Queria saber escrever coisas bonitas assim,mas é por isso que leio seus textos,esse quase que as lagrimas rolaram...
ate!
parabens!